30 dezembro, 2010



e dizem que a esperança é a última a morrer.
eu que não gosto de causas perdidas, dou por mim a lutar pelas mais descabidas.
e dou por mim a sonhar, deitada e acordada.
dizem para nunca olhar para trás, o que está feito, feito está.
eu olho, cedo ás vontades.
e ainda dizem que a esperança é a última a morrer..

28 dezembro, 2010

27 dezembro, 2010



pois,

problemas cardíacos

ás vezes vagueia, anestesiado, com uma dormência tal que nem se sente a si mesmo; fazem de propósito os dois : a cabeça emigra para a lua e o coração que lhe faz as vontades todas, hiberna lá para os lados da imaginação por tempo indefinidido..
outras tantas, anda por aí todo maluco, galdério, ignora tudo. bombeia a mil, anda mais depressa que o tempo ele mesmo; tem uma vontade tão grande, tão sincera e inexplicável ... mas isto claro, esta euforia só se dá quando a vista satisfaz o que o coração pede .
pior, é mesmo quando congela, paraliza . fecha-se em reabilitação e não dá contas a ninguém.

24 dezembro, 2010

22 dezembro, 2010

horas nos segundos

fazemos tudo a toda a hora, fazemos tudo sem nada . deita-te comigo e olha para mim . olha-me nos olhos e esquece tudo o que já viste . esquece o que ouviste até agora, os ideais e as fórmulas porque a vida não é um plano, nem uma só decisão . beija-me e não oiças nada, nem te oiças a ti e ás tuas manias de ser orgulhoso; ouve-me e fala-me do mundo . diz-me tudo sem pressas nem mentiras porque o tempo é nosso . sem medo, um segundo contigo vale mais do que todos os dias sem ti . por isso, não te esqueças, leva o tempo que quiseres que eu sou toda ouvidos . não precisamos de ir longe, eu fico aqui com a cabeça em cima do teu peito, ficamos aqui que já é um lugar perfeito .
ouve-me bem que o que digo é imperativo, mas presta atenção e guarda tudo muito bem . não te incomodes em olhar o relógio, enquanto quiseres eu fico aqui .
podes ir . afinal,estamos sempre os dois, um no outro. afinal, já temos muitos segundos juntos para compensar os dias que aí vêm .

ontem, hoje, amanhã

15 dezembro, 2010

por favor meu amor

por favor, suplico-te.
desaparece, não só da minha mente, desaparece para sempre e leva o cheiro que deixaste na minha pele, nas minhas roupas. sai ! sai e não deixes memórias, não quero viver com elas. não me interessa quando, como ou para onde vais, simplesmente apressa-te. faz as malas e põe-te a milhas; pára de deixar a porta encostada como se estivesses prestes a voltar. pára, porque quem fica á tua espera sou eu, e eu, cancei-me de idas e voltas, ou vens ou ficas (e já percebemos que vais), fecha a porta com a mesma força, com a mesma rapidez com que abriste, leva tudo contigo. leva tudo mas devolve-me o meu coração que não está para hipotecas ou empréstimos. vai, não faças adeus e nem penses em voltar porque não quero. eu não te consigo expulsar, já tentei, mas tens de ser tu a parar de regressar. por favor, mete-te porta fora, o mais depressa que puderes, o mais longe onde conseguires ir.

tá qs bem feito




09 dezembro, 2010

fase I - paixão

é só deixarmo-nos tropeçar nele para o sol brilhar todo o dia, todos os dias e haver lua cheia toda a noite, todas as noites. passa a ser a maior alegria e a maior tristeza .
ele . ele tem os olhos mais verdes, as mãos mais delicadas, o perfume que parece comestível. um dia o tempo passa, mas o relógio pára . pára tudo, não pára ele. o coração enche-se de vontades, que mais tarde são nada mais que saudades.
fica tudo feliz, felizmente, até o sorriso dá por si bastante contente. não há distâncias, não há impossibilidades, há desafios e proximidades. quanto mais exitântes mais seguros, mais unidos e convencidos de nós, um do outro.
ar cheio ? cheio de paixão, claro está ; cheio de promessas e outras dessas .

05 dezembro, 2010

31 Outubro / escorpião*

"Tem uma personalidade complexa, gosta de pôr o destino à prova e de o desafiar. Procura inquietar e fascinar os outros. Tem o dom da controvérsia. Não se dá a conhecer com facilidade. É perspicaz e tem grande capacidade de concentração, qualidades que o predispõem para profissões que exijam investigação. É difícil ficar indiferente a um Escorpião. Tudo nele é exponencial: as paixões, as discussões, as opiniões. Se teme uma opinião sincera não lha peça! Jamais fará um elogio falso para marcar pontos ou ganhar aliados. Quando faz um elogio, está a ser genuíno. Conhece-se a si próprio como ninguém e acredita na sua auto-avaliação. Nunca se esquece de nada que lhe fazem de bem ou de mal. É uma força da natureza e costuma ter uma saúde de ferro. Habituado a atrair sobre si todas as atenções, devido à sua capacidade magnética, quando o amor acontece imagina que é para sempre e tudo faz para que assim seja. A sua alma gémea será Touro. Contudo quer Caranguejo, quer Peixes podem atraí-lo. Carneiro, Leão ou Gémeos não são o seu par ideal. "


http://apaixona-te.com/horoscopos/escorpiao

04 dezembro, 2010

tem dias, tem nostalgias

quando duvidas... duvidas da tua presença, do que fizeste, se valerá a pena levantares-te da cama. dás por ti envolvida nos lençóis entre lembranças e esperanças; pensas na confusão, no frio, em tudo o que te espera e simplesmente apetece fechar os olhos e dormir como se o tempo parasse indefinidamente.
aí, fecho os olhos por um momento, dou por mim no espaço entre o sonho e a realidade, onde penso, na corda bamba, com o desejo e a verdade opondo-se um ao outro. caiem as lágrimas, secas, só eu é que as vejo; não caiem no meu rosto, escorrem pelo coração.
não me posso atrasar, o despertador já se cansou de tocar. acordo e deixo na cama tudo o que sonhei, tudo o que no fundo sei ser (im)possível... acordo de olhos bem receptivos e abertos, de alma cheia e com a mente a mil. quase que me arrasto com a chuva que me cai na entrada, nostálgica e impaciente, tal como eu. as horas ultrapassam-se, as ideias encaixam-se umas nas outras e assim tudo bate certo. as dúvidas desvanecem-se, o sol aparece á janela e afinal valeu a pena levantar-me da cama.
nem todos os dias nos apetece existir, raramente acontece o que nos apetece.

02 dezembro, 2010

dia 11 - algo que te deixe sem palavras

uma surpresa totalmente inesperada (boa, óbvio)

love it

01 dezembro, 2010

tudo cheio de nada

as horas já não cabem nos dias e as letras não entram nas palavras. na voz já não cabem dizeres, na alma já não entram prazeres. não entra nada, não cabe nada. tudo cheio de vazio. arrumadas as incertezas nas resoluções, arrumadas as memórias nos afazeres de agora. directo, sussinto e oco, então o vazio, enche-se de nada.